Celular que funciona como chave de carro

outubro 3, 2008
Protótipo

Essa será mais uma das funcionalidades integradas no celular em um futuro próximo.

Três empresas se uniram para desenvolver essa idéia, entre elas Nissan, NTT DoCoMo e Sharp. Desde 2002, a fabricante de carros Nissan, possui uma tecnologia sem fio que possibilita algumas ações a distância, como por exemplo, abrir e fechar a porta e até mesmo ligar e desligar o carro. Agora com essa união, as empresas têm trabalhado para colocar todas essas tecnologias em um celular.

“Já que celulares se tornam cada vez mais uma necessidade diária, a integração dessas tecnologias e o potencial de expansão relacionada à funcionalidade fizeram com que as três partes se unissem”, afirmam as empresas.

Por enquanto, o aparelho é só um protótipo, mas acredita-se de que em 2009 já seja distribuído comercialmente.

Fonte: Folha Online


Números da web

outubro 1, 2008
60%: Percentual de entrevistados que clica nos três primeiros resultados da busca, enquanto 80% revelaram não ir para a segunda página dos resultados, segundo estudos da WBI Brasil sobre a preferência dos cliques nas pesquisas feitas nos mecanismos de busca. Cem por cento dos entrevistados utilizam tais mecanismos, sendo o Google o preferido dos brasileiros, com mais de 90% das indicações.

92,16%: Total dos resultados que clicam nos resultados espontâneos ao pesquisar nos mecanismos de busca. Apenas 7,8% preferem clicar em links patrocinados.

25,6%: Total de brasileiros que utilizam a Internet através de conexão dial up (internet discada). Esse número subiu na medição do último período de um ano de 4,1 para 4,7 milhões usuários (aumento de 17% de setembro de 2006 para setembro de 2007). Segundo o Ibope NET/Ratings, há pelo menos dois anos o número de usuários dial up permanece a casa dos quatro milhões.  Além disso, a permanência na web dos usuários da Internet discada no Brasil também cresceu: eles passaram 12,1% mais tempo navegando via dial up, atingindo a média de 12 horas mensais.

30%: Estimativa da perda do tempo útil do funcionário com uso do e-mail corporativo para fins pessoais, bate-papo com amigos no MSN e acesso a sites não relacionados ao trabalho.

138 milhões: Estimativa total de domínios em todo o mundo. Deste montante, 73 milhões de domínios seriam “.com” e “.net”. O aumento anual na base total de domínios registrados foi de 31% até o final de julho de 2007.
Fonte: Revista Webdesign

Ferramentas de ubiqüidade (o que é isso?)

setembro 30, 2008

Ubiqüidade é a qualidade daquilo que está em toda parte, segundo o Wikipedia. Aquilo que você conhece como onipresença, provavelmente por causa da sua religião. Se Deus é onipresente, está em todos os lugares. Ou não.

Se a sua religião for o Google, então você está quase salvo. Isso porque eles vêm lançando algumas ferramentas para que sua vida digital não fique trancafiada, metade no computador do escritório e a outra metade em casa.

Outras ferramentas já vieram antes, mas o Google tem a manha de simplificar, facilitar e acima de tudo gratificar os serviços que cria.

Belos exemplos são o Google Docs, o GMail e a ferramenta Histórico da web, que armazena toda sua atividade no browser via Google.

Incrível? Não, apenas muito trabalho de desenvolvimento e compreensão das necessidades do usuário.

Aproveite os recursos que você tem para viver sua vida on-line livre de limitações.


Busca por áudio? Tinha de ser o Google

setembro 17, 2008

Tinha de ser o Google de novo. O grande oráculo da web agora lança hoje em versão Beta, sua busca por áudio. O sistema chamado GAUDI (Google Áudio Indexing) é uma ferramenta que busca por palavras no áudio dos vídeos do Youtube. Alguns erros ainda acontecem, como a confusão entre as palavras “Free” e “Forty”.

Uma marcação em amarelo sinaliza na linha do tempo, em que momento do vídeo a palavra é pronunciada.

Por enquanto o sistema está disponível apenas nos vídeos relativos a campanhas eleitorais americanas, mas após correções o serviço deve se estender a outros conteúdos.

Eu me pergunto o que acontecerá com vídeo clipes, onde as palavras cantadas perdem muito de sua pronúncia original. Me pergunto ainda como ficaria a leitura de áudio em um clipe do Sepultura. Impossível pra humanos, pior ainda pra softwares.

Pelo menos aproveitaram a deixa pra homenagear o artista espanhol.

Aqui está o link para o serviço Google Gaudi:
http://labs.google.com/gaudi

Abraços e até mais!


Falta preparo de empresas para mídias digitais

novembro 14, 2007

Levantamento da Accenture, consultoria global de gestão, tecnologia e tercerização, mostrou que, apesar das empresas reconhecerem a força da mídia digital, elas não estão prontas para lidar com os internautas.

De acordo com a pesquisa, realizada com 70 CEOs mundiais de empresas ligadas às áreas de mídia, sobre o papel de novos canais de comunicação para a promoção de seus produtos e serviços, 97% dos empresários acreditam que a propaganda do futuro está nas mãos dos consumidores que, cada vez mais, preferem utilizar mídias como a TV, a internet de banda larga e os celulares, informou o site InfoMoney.

O estudo apontou que 43% dos entrevistados acreditam que os modelos de anúncio feitos atualmente devem sofrer alterações drásticas nos próximos anos, em referência ao crescimento da publicidade na TV de banda larga (aposta de 22% dos anunciantes), internet (21%) e nos celulares (11%) e à queda das expectativas em relação aos anúncios em televisão aberta (33%) e a cabo (11%).

No entanto, as mesmas empresas que votam nas mudanças estão pouco preparadas para lidar com o cenário. O levantamento apurou que apenas 13% dos entrevistados responderam que estavam preparados. “Neste contexto, e para ganhar espaço no mercado, as empresas esperam gerar receitas ao oferecer uma experiência rica em vídeos e conteúdo”, explica o executivo responsável pela área de mídia e tecnologia da Accenture, Petronio Nogueira.

Os empresários entrevistados disseram estar preocupados em contar com pessoas que estejam dispostas a atuar neste novo cenário de negócios (25%), que sejam competentes (22%) e comprometidas (11%). “As empresas têm buscado novas maneiras de interagir com seus clientes.”

Retirado de http://diariodenatal.dnonline.com.br